whats (43) 9 9141.1750 (43) 9 9156.9145

10 e 24 DE MARÇO : VIDA VEG COM NICOLE KHOURI

Chris Mattos

Londrina – Refeições com predominância de pratos vegetarianos são a melhor opção para todos nós. Inclusive os carnívoros! Então que tal melhorar o seu repertório gastronômico e aprender receitas deliciosas sem carne?

A  Nicole Khouri, do Ateliê Comida de Gente, vai compartilhar  o que aprendeu em 4 anos de pesquisa e prática da Cozinha Vegetariana e Vegana.

Os encontros serão aos sábados de manhã. Vamos cozinhar e almoçar juntos..

É a Oficina Vida Veg com o Tp1!  Você pode escolher dia 10 ou 24 de março. Faça a reserva aqui mesmo no site.

Serve para você que se interessa pelo tema e pretende começar a observá-lo. Ou para quem quer dar um passo à frente na relação com a carne. E ainda se você é um chef de cozinha desejoso de oferecer essa variação no cardápio para os clientes.

O fato é que você pode estar DENTRO!
Todas as informações da Oficina Vida Veggie estão aqui neste link em outro post do Tp1.

Ao final desta entrevista da Chris Mattos, aqui do Tp1, com ela, há um resumo do evento:

– Nicole, quando e por que você decidiu deixar de comer carne?
Desde pequena sempre tive muito contato com os animais, principalmente os domésticos.

Contudo, em casa o consumo de carne sempre foi grande. Sou descendente de
libaneses e filha de pais que têm o dom da cozinha – e a
maioria dos pratos levava carne.

Esta relação entre amar os animais e alimentar-se deles
sempre foi um questionamento interno e quando saí de
casa para morar sozinha, isso se intensificou. Comecei a
ter mais contato com vegetarianos e veganos e a minha
visão de que estes estilos de vida estavam muito distantes
da minha realidade começou a cair por terra [ risos]

Então, no meu segundo ano morando fora resolvi tentar.

Li relatos, matérias e artigos e passei a me interessar pelos
documentários (que, sabia, eram fortes). E foi o que me
motivou a iniciar essa jornada.

Acredito que minha maior motivação estava na resposta a
este questionamento interno que sempre carreguei. No
fundo a gente sempre sabe o que é certo.

– Qual foi a reação da família, dos amigos?
Os amigos vegetarianos foram essenciais! Me ajudaram
com muitas dicas de saúde e para o dia a dia mesmo.
Mas no início a maioria das pessoas não botou fé [rsrs].

Entendo que pra quem estava acostumado com a
Nicole antes do vegetarianismo não iria acreditar tão fácil.
Eu comia muita carne, por costume mesmo.

Meu pai foi uma dessas pessoas que não acreditou muito –
pensou ser uma fase. Mas hoje ele e minha mãe (uma
grande incentivadora) inventam pratos e sempre preparam
uma opção vegan pra mim.

– Por que você deixou de ser vegetariana para se tornar
vegana? 
Sempre que me perguntam se sou vegana demoro um
pouco pra formular como isso soará pras pessoas. Quando
eu era ovolactovegetariana, tinha uma ideia de que os
veganos eram muito radicais e que eu nunca conseguiria.

Diria que sempre estarei em busca do veganismo como
algo para seguir vivendo – um ideal. Isto
porque mesmo tendo uma alimentação 100% vegetariana
estrita, existem aspectos da nossa vida que segundo o
veganismo não deixam de ser exploração animal.

É assim com o uso de medicamentos ou consumo de produtos que não sabemos a procedência, entre muitas outras coisas.

O que me fez buscar esse ideal foi algo que penso
acontecer com a maioria dos vegetarianos.

A partir do momento em que vivemos estes estilos de vida para além
da alimentação, somos mais conscientes do nosso impacto
e do nosso potencial de mudança e transformação (de
dentro pra fora).

E percebemos que podemos ir mais longe.

Foi o que eu senti: uma vontade grande de fazer um pouco
mais de diferença, cada vez mais. Isto porque o
ovolactovegetarianismo, mesmo sendo um passo
inicial e de grande valor para a causa, ainda contribui com
muita exploração.

Para mim, a indústria de laticínios, por
exemplo, é muito mais cruel do que a de carne de corte.
Mas insisto em dizer: as mudanças devem partir de
dentro para fora. Nunca faça pelos outros: faça por você e
no seu tempo.

– Você faz sua comida todos os dias ou é fácil encontrar
comida vegana fora de casa em Londrina? 

Prefiro cozinhar em casa, mas tá muito fácil encontrar
opções veganas pra almoçar em Londrina. Já para o jantar
fica mais restrito. Barzinho então … ainda é uma luta rsrs.

Fico feliz em ver que em um período de 5 anos o interesse
dos estabelecimentos em nos atender cresceu muito, muito
mesmo! Das hamburguerias da cidade, a maioria vai te
oferecer uma opção veggie ou vegan.

– Você concorda com a afirmação de que os veganos e
vegetarianos abrem mão de uma parte importante da vida
social que é “comer junto”?
Acredito que abrimos mão de muita coisa. Mas não abro
mão do “comer junto”.

Para mim, quem opta por estes estilos de vida passa a entender que o comer carne/derivados está muito mais ligado ao paladar do que a uma necessidade biológica, sabe?

Então, digamos que nós abrimos mão deste paladar para nos encontrarmos em
outro. Por isso a necessidade de se aventurar e se redescobrir
na cozinha.

No início da minha jornada vegetariana sofri muito. Sou
uma pessoa muito social. Já chorei em pizzaria [rsrsrs]!
Mas penso que com o tempo e com a firmeza da sua
decisão, as pessoas começam a te respeitar, compreender
e ajudar. Hoje meus amigos e familiares me incluem
naturalmente já sabendo o que posso ou não comer.
Nunca deixei de ir e sempre servi boa comida a todos
eles. Então, eu mereço né [rsrs]?

Acho importantíssimo deixar claro que não somos vítimas.
Se a opção for só batata frita, que seja. Nosso “sofrimento”
é tão pequeno perto do que tentamos livrar dos animais
que isso é besteira, sabe?

– Qual é o maior benefício que a mudança na alimentação
trouxe pra sua vida?
Olha, a principal mudança está na forma como me sinto a
cada refeição. Parece que continuo leve!
Nosso organismo fica mais limpo: sinto como se eu desse
ao meu corpo apenas o que ele precisa. Sem excessos.
Intestino funciona melhor, pele fica melhor, cabelos e
unhas fortes. Enfim, nenhuma mudança negativa (pelo
menos pra mim) e os exames dizem o mesmo.

– O que você acredita que é mais importante compartilhar
durante a oficina “Vida Veg”?
As infinitas possibilidades que a cozinha vegetariana
oferece. Acho que o mais importante é levar pras pessoas
a necessidade de experimentar, essa é a palavra. Na
cozinha, na vida, em tudo!

Quero levar um pouco da minha bagagem e combinação
de temperos para inspirar uma cozinha criativa e cruelty
free.

– Qual vai ser a dinâmica dos encontros ?
Vamos começar falando um pouco do tema de cada
encontro, uma introdução ao assunto principal. E quero
compartilhar um pouco da minha história neste sentido para
fazer um link com o que formos comer.

Cada um fica livre pra falar, questionar e somar no bate papo que deve ser
breve para colocarmos a mão na massa.

Feito isso, vamos começar a preparar as receitas juntos
(novamente, aqueles que quiserem). Uma entrada, um
prato principal e uma sobremesa. Para não enrolarmos
muito [rsrs] deixo tudo encaminhado antes!

Ah! O papo é livre durante os preparos. Quem não gosta de uma boa conversa e porque não, um bom vinho na cozinha?
Com tudo encaminhado, vamos comer e continuar a prosa!

– Qualquer pessoa pode participar?
Sim, qualquer pessoa será bem recebida para se aventurar
conosco nos encontros e no mundo veggie. Seja por um
mês ou por uma vida.

O único requisito para participar é: estar com a mente
aberta para conhecer e entender mais deste nosso mundo.

– Quem quiser aprender as receitas mas não está
comprometido em manter a dieta nem por um mês, pode
participar?

Com toda certeza. Estou certa de que você vai aproveitar
muito e em algum momento vai usar o que aprendeu e
vivenciou conosco.

– Por que você aceitou este convite do Tp1 ?
Qual o resultado você espera?

Porque além de ser uma grande fã do Tp1, os valores que
vocês compartilham e o ideal que propagam vai muito de
encontro com tudo que acredito.

Penso que esta parceria é mais um forte laço que ajuda a
fazer a diferença por aí. E o melhor, uma mudança prática
em que as pessoas participam, deixando de ser apenas
espectadores pra serem agentes de mudanças sociais.

E o que espero é que possamos tocar as pessoas por
meio de um bom papo e uma boa comida – e que isso possa
transformá-las.

– Qual é o teu prato preferido?
Mjadra (um arroz árabe com lentilhas, especiarias fortes e
cebolas queimadinhas) e todo tipo de massa com molho
vermelho, eu AMO. Não me peçam pra dizer um só [rsrs]!

____________________________
RESUMO

  • Oficina Vida Veg com Nicole Khouri
  • Para quem é? Curiosos, simpatizantes, vegetarianos, veganos, chefs de cozinha profissionais, amantes da gastronomia e todos que se sentirem abertos a aprender a partir de uma experiência concreta guiada.
  • O que? aula + almoço  + apostila + suporte da Nicole online (whatsapp) por uma semana
  • Quando? 10 de março e 24 de março. Das 9h30 às 12h30.
  • Onde? Juntus Coworking, rua Prefeito Faria Lima, 755, Londrina.
  • O que vamos comer? Cada sábado, um cardápio diferente para alegrar a alma – e com sabores firmes.
  • O valor inclui bebida? Não.
  • Quanto preciso investir? $80 convite individual para aula+almoço.
  • Preços para Assinantes mensalidades Tp1: $70 por aula+almoço .
  •   Sujeito à formação de grupo. Inscrições : tp1@tp1.com e pelo whatsapp 43 9 9156-9145 e 9 9141-1750.

 

 

Leave a Reply