whats (43) 9 9141.1750 (43) 9 9156.9145

HÁ VAGAS PARA CÃES TERAPEUTAS!

por Chris Mattos

LONDRINA – Quando eu cheguei, o Bruno Oliveira e o cachorro dele, o Logan, estavam prontos para ajudar mais um paciente.

A porta da sala se abriu e, imediatamente, os dois entraram.

Começou a brincadeira, na verdade, uma divertida sessão de fisioterapia.

O Bruno incentivou o Logan a encontrar um brinquedo escondido em meio às macas e aparelhos da clínica.

O paciente era um menino chamado Rodrigo. Ele tem um problema neurológico e o tratamento é para melhorar a coordenação motora.

Rodrigo foi convidado a participar da busca. Se movimentou por toda sala, motivado, querendo ajudar o cachorro.

Assim, com alegria, ele fez boa parte dos exercícios que precisava.

A fisioterapeuta a Alana Barbosa Gomes diz que quando o paciente tem a companhia de um cãozinho durante a sessão, tudo fica mais fácil.

Gravei uma parte do esconde-esconde  terapêutico e  um comentário da fisioterapeuta sobre essa parceria gente e bicho.

Veja aí!

A dupla Bruno-Logan já ajudou várias pessoas dentro do projeto “Amor em pelo” da ong SOS Vida Animal.

A ong precisa de mais voluntários!

De acordo com a veterinária Cristina Tanaka, coordenadora do projeto, 40 moradores de Londrina fazem esse trabalho .

São pessoas que dedicam tempo e oferecem a companhia de seus animais de estimação para quem precisa.

O “Amor em pelo” foi criado há 4 anos.  A equipe organiza visitas dos voluntários a dois asilos da cidade e também na  Associação Flávia Cristina , onde o Tp1 acompanhou a terapia.

A associação fica na zona norte de Londrina, atende 350 pacientes, desde bebês até adultos. Além disso tem mais de 150 alunos matriculados na escola de educação especial.

O voluntário Bruno Oliveira é funcionário público e um apaixonado por cães. Tem 7!!

Vários foram adotados, retirados das ruas de Londrina.

Alguns são cães de raça, como o Logan, um pastor mallinois.

Veja aqui Bruno e Logan trabalhando em outra etapa da fisioterapia do Rodrigo.

No  vídeo, o Bruno conta porque decidiu participar do projeto “Amor em pelo”.

Zooterapia

Há citações dos benefícios da interação com os animais desde a Antiguidade.

Na Inglaterra, no século 18, havia um hospital psiquiátrico chamado Retiro de York focado da pesquisa de tratamentos não agressivos. Ficou famoso por manter os pacientes em contato com animais de pequeno porte. Os médicos percebiam que todos ficavam mais calmos.

Aqui no Brasil, na década de 50, a psiquiatra alagoana Nise da Silveira, contrária aos tratamentos convencionais da época – lobotomia, choques elétricos e trabalhos forçados -, também levou animais para dentro do Centro Psiquiátrico Pedro II , no Rio de janeiro).

(Aliás a história de Nise virou um filme , estrelado por Glória Pires e pela londrinense, Simone Mazzer. Vale ver! Nise – O Coração da Loucura ).

Hoje, no mundo inteiro, o cão ajuda médicos, fisioterapeutas, psicólogos e professores.

Nos Estados Unidos, a Pet Partners , treina voluntários e seus cães para ajudar as comunidades há 40 anos! O site deles está repleto de estudos sobre como o vínculo homem-animal faz bem à saúde física, mental e social.

Pincei uma frase de um dos fundadores da Pet Partners, o Michael McCulloch.

“Em uma época em que reduzimos as emoções à reações bioquímicas e confiamos totalmente na tecnologia para fazer medicina, é revigorante pensar que a saúde e o bem-estar de uma pessoa podem ser melhorados prescrevendo contato com outros seres vivos”.

As aplicações são inúmeras. Tratamento do sedentarismo, da depressão, baixa auto-estima, dificuldade de sociabilização, distúrbios de aprendizagem, necessidade de reabilitação motora e muito mais.

Em São Paulo, o Inataa (Instituto Nacional de Ações e Terapia Assistida por Animais) atende pessoas doentes e agora, também, refugiados. Gente com histórias dramáticas e que enfrenta todo o tipo de dificuldade nesta fase de adaptação a uma nova cultura. O programa se chama Bem-vindo Ibrahim. Veja o vídeo da campanha de lançamento aqui .

 

Quer ajudar também ?

A veterinária Cristina Tanaka conta que em Londrina o “Amor em Pelo” surgiu por sugestão de uma estudante. Ela fez uma pesquisa sobre a Cinoterapia (terapia com cães)  para um trabalho da faculdade. Já são 4 anos auxiliando pessoas com necessidades especiais, crianças, adultos e idosos.

O “Amor em pelo” está cadastrando mais voluntários para aumentar o número de pessoas beneficiadas.

Hoje são 50 voluntários e a meta é conseguir mais 10.

Os interessados recebem uma visita da veterinária para avaliar as condições de saúde do animal. Tudo é planejado pensando também no bem-estar do cachorro.

Se você acha que tem em casa um cãozinho com talento pra ser um doutor de quatro patas, ligue para a Cristina Tanaka no 99994-0726.

E mais! O SOS Vida Animal realiza feiras de adoção todos os sábados. É só acessar o  site  para confirmar o local.

Se você não tem um animalzinho ainda, que tal adotar um? Vai fazer bem pra sua saúde e pra sua comunidade!

Somos Londrina. Somos Todos por Um

 

 

Leave a Reply