whats (43) 9 9156.9145

Experiência Portugal: viaje com a gente!

Experiência Portugal: viaje com a gente!

Por Liane Mazzer –

Estranhando ver um post sobre Portugal no Tp1? Vou logo explicando, sou londrinense, mas moro em Portugal há 10 anos.

Eu e a Chris Mattos, uma das fundadoras do Tp1 e neta de portugueses, criamos um serviço de assessoria para brasileiros em Portugal. Objetivo é ajudar turistas, estudantes e também pessoas que querem viver aqui.

Agora o nosso serviço, Portugal me guia, também será divulgado  no site do Todos por Um Londrina.

Começo sugerindo um roteiro turístico saindo da rota consagrada Lisboa-Porto e subindo mais um pouco … até o Alto Douro.

Essa região foi uma das primeiras no mundo a ser delimitada para produção de vinho, mais precisamente em 1756, no governo do Marquês de Pombal.

Em 2001 recebeu a classificação de Patrimônio Mundial da UNESCO. Merecida!

PINHÃO-DOURO

A região é linda! São quilômetros e quilômetros de montanhas cobertas de videiras  agarradas às encostas do rio Douro e seus afluentes.

O Alto Douro tem um tipo de solo único. Só aqui se pode produzir o Vinho do Porto.

Essa delícia é feita a partir de uvas  cultivadas no solo de xisto dos socalcos que margeiam os rios. Os socalcos são espécies de degraus nas encostas dos rios.

É terra cheia de pedregulhos,  rica em nutrientes e com capacidade de reter a água e conservar a temperatura de modo a reduzir as variações térmicas. Esse é um dos segredos dos ótimos vinhos de mesa, moscatéis, espumantes, além do mundialmente famoso Vinho do Porto.

Nos últimos anos, essa região tem atraído cada vez mais visitantes que vêm à procura  de experiências vínicas e para desfrutar da natureza e da gastronomia.

Conhecer  o processo de fabricação dos vinhos e passar uns dias convivendo com os moradores do lugar é um investimento que vale a pena.

Já estivemos algumas vezes no Alto Douro e vamos  voltar muitas mais, porque sempre tem algo novo para ver e se encantar.ALTO-DOURO (2)

Dos  vilarejos tranquilos com suas casinhas de pedra cercadas de videiras aos grandes produtores de vinho com hotéis e restaurantes sofisticados, o viajante faz muitas descobertas por aqui.

É possível  passear pelo Alto Douro de barco, de trem ou de carro.

Com o barco você terá um passeio tranquilo e confortável desfrutando da paisagem sem ter que se preocupar em dirigir , com garçom lhe servindo comida e bebida.

DOURO1

O passeio de trem também é lindo. Em vários trechos a  ferrovia acompanha o trajeto do rio Douro. O visual  é incrível e custa menos que o  barco.

DSC05350

Mas se você  quiser explorar um pouco mais a região, conhecer vinícolas e caves, o  melhor mesmo é alugar um carro, a partir do Porto, e seguir, livre, parando onde seu coração mandar.

ESTAÇÃO PINHÃO

Qual a melhor época para ir ao Alto Douro?

A partir da primavera o clima vai ficando mais e mais quente e, as videiras, que no inverno pareciam mortas, vão cobrindo-se rapidamente de folhas verdes e cachos de uvas.

É uma transformação impressionante da natureza que tem o seu ponto alto no começo de setembro quando, geralmente, começa a vindima.

VINHAS DOURO

É a  época mais movimentada e de mais  trabalho nas quintas (as propriedades rurais),  mesmo assim muitas abrem as portas para visitas e algumas têm uma programação turística. O visitante pode participar da  colheita, pisar as uvas, além de degustar vinhos e pratos típicos.

É uma experiência única, sem dúvida!

Um detalhe que pode ser um pouco complicado na hora de organizar a viagem é saber quando será, exatamente, a vindima, porque depende do ponto de maturação das uvas, o  que pode ser a qualquer momento a partir de setembro…

DOURO VALLEY

Conhecer o Alto Douro no outono também é legal. O número de turistas diminui por causa do fim das férias dos europeus. Os preços dos passeios costumam ser mais baixos nos meses de outubro e novembro. A paisagem muda  trazendo os tons de vermelho, amarelo e marrom. É uma época muito agradável !

Enfim, você não vai acompanhar a vindima, mas vai desfrutar dos passeios mais tranquilamente  e , possivelmente, terá experiências mais “personalizadas” nas caves e quintas.

São duas propostas diferentes, mas ambas muito boas.

Qual o caminho a seguir de carro?

A sugestão é  a A Rota do Vinho do Porto que foi inaugurada em 1996 e vai da região do Peso da Régua, cidade com cerca de 17 mil habitantes, até a divisa com a Espanha – o Douro Superior.

Seguindo por esse caminho você vai conhecer cidades e vilarejos espalhados por uma região montanhosa que tem na produção do vinho sua principal atividade.

DOURO

No Douro Superior  há também o Parque Arqueológico do Vale do Côa. É um  sítio de arte rupestre que faz parte do Patrimônio Mundial da UNESCO. O Parque Natural do Douro Internacional também vale a visita.As amendoeiras em flor, no início de março, são um espetáculo!

Em todo o percurso  você pode fazer visitas guiadas em  vinícolas.

DOURO VINHOS

Algumas delas oferecem  hospedagem e restaurantes bem sofisticados.

Mas vale também conhecer os pequenos produtores, que antes vendiam sua produção para  grandes empresas, e agora decidiram produzir o seu próprio vinho, em menor escala, buscando mantercaracterísticas originais do terroir.

Isso não quer dizer que você deva deixar de ir naquela famosa vínicola que faz aquele vinho que você adora…

É claro que deve ir! E provavelmente ficará muito satisfeito com a sua visita.

Mas existem muitas outras opções,  que ainda não são muito conhecidas pelos turistas.

Experimente! Eu tenho algumas sugestões.

Quinta da Seara D’ Ordens- Vinho de mesa, Vinho do Porto

DSC_0596

DSC_0597

Murganheira e Raposeira–  Espumantes- ambas do mesmo proprietário

RAPOSEIRA2ESPUMANTE-DOURO

Adega Cooperativa de Favaios- Moscatéis

ADEGA FAVAIOS

COOP. ADEGA FAVAIOS

Mais uma dica!

Se for em julho programe a sua viagem para começar por Amarante, uma cidade charmosa e com muita história,  que fica pertinho da região demarcada da Rota do Vinho.

E, julho  tem um festival de música e artes por lá, o Mimo. A programação  é ótima e gratuita.

Começar a jornada pelo festival em Amarante é unir o agradável ao agradável!

Enfim, há muitos ”Portugais” para o viajante conhecer, mas eu não deixaria o Alto Douro  fora do  roteiro.

Se quiser ajuda com o planejamento da sua estadia por aqui, já sabe!

É só mandar uma mensagem pra gente! Siga o serviço Portugal me guia no Instagram e no Facebook também!

portugalmeguiacontato@gmail.com

 

 

Liane Mazzer é mãe, londrinense, viajante apaixonada, moradora da cidade do Porto há 10 anos, enfermeira e parceira do Tp1 . Ela e a jornalista Chris Mattos (neta de portugueses), criaram um serviço de assessoria pra quem quer viajar para Portugal a passeio, a trabalho ou pretende se mudar pra lá. Aproveite as informações que compartilhamos aqui gratuitamente e se decidir cruzar o Atlântico com a nossa ajuda, é só mandar uma mensagem.

Leave a Reply